Os opostos se atraem?


Até que ponto as diferenças podem unir ou separar os casais?

 Quem nunca viu nos filmes românticos histórias de casais que, definitivamente, não nasceram para ficar juntos, mas mesmo com as diferenças acabam se apaixonando e têm um final feliz? Algumas diferenças podem realmente ser atraentes. Mas isso significa que os opostos, de fato, se atraem?

Na opinião do bispo Renato Cardoso, par perfeito não existe. “Para eu ser perfeito para a Cristiane, teria que mudar em muitas coisas. Se ela não fosse como é, com todas as suas imperfeições, não me encantaria mais”, explica.

De acordo com o bispo, realmente os opostos se atraem, mas se o casal não souber administrar essas diferenças acabará se afastando um do outro.

Aurineide Alves Quirino, de 27 anos, e Manuel Alves Quirim, de 42, chegaram à IURD desiludidos do amor. Ambos vieram de relacionamentos fracassados. Eles se conheceram na Terapia do Amor, no Cenáculo do Espírito Santo da Paraíba. Em apenas 4 meses, Aurineide namorou, noivou e casou com Manuel. “Estamos casados há 6 anos. Superamos as nossas diferenças com amor e respeito mútuos. Meu esposo é caseiro, enquanto eu gosto de passear. Me preocupo com a aparência, ele não. Mesmo assim, nos amamos, porque a base do nosso relacionamento é, acima de tudo, o temor a Deus”, relata.

Colaborou: Ana Paula Araújo

Reações: